Login

cefaleias

O papel da vasodilatação na dor da enxaqueca tem sido objeto de intenso debate durante séculos. No entanto, durante a diminuição da pressão arterial e aumento da frequência cardíaca, assim como no exercício físico, as artérias podem dilatar acentuadamente sem que esta vasodilatação seja acompanhada por dor de cabeça, o que significa que a vasodilatação isoladamente não pode explicar a dor da enxaqueca.
Experiências realizadas em humanos sugerem a ativação de estruturas cerebrais profundas durante a crise de enxaqueca e experiências em animais sugerem que fibras nervosas sensíveis à dor são ativadas por substâncias vasodilatadoras sensitizantes, libertadas pelas terminações do trigémio ou pelos eferentes parassimpáticos.
Como tal é plausível dizer-se que as crises de enxaqueca são evocadas em estruturas cerebrais profundas e que estes mecanismos iniciais despoletam a libertação de substâncias vasoativas em torno dos vasos cerebrais, o que determina a sensibilização dos aferentes do trigémio, vasodilatação e dor.

pdfDownload ptFlag enFlag